Notícias

Após título, desfile do Flamengo termina em confusão entre torcedores e Polícia Militar

Por Agência Estado, 24/11/2019 às 19:56
atualizado em: 24/11/2019 às 20:01

Texto:

Foto: Ricardo Cassiano/Agência O Dia/Estadão Conteúdo
Ricardo Cassiano/Agência O Dia/Estadão Conteúdo

Um tumulto entre torcedores e a Polícia Militar (PM) marcou o fim da festa da torcida do Flamengo que comemorou a conquista da Copa Libertadores na avenida Presidente Vargas, no Centro do Rio de Janeiro, no fim da tarde deste domingo.

Pelo menos uma mulher desmaiou e teve de ser carregada, enquanto policiais jogavam bombas de gás e de efeito moral na multidão, e populares atiravam pedras, garrafas e outros objetos. Um guarda municipal foi atropelado por uma caminhonete da corporação que dava ré, mas se levantou rapidamente e, aparentemente, não teve ferimentos graves.

Até o fim da tarde, o motivo da confusão, que ocorreu perto da estátua que representa Zumbi dos Palmares, por volta das 16h30, não estava claro. O trio elétrico com os campeões tinha feito uma curva antes do monumento, para tomar a direção da Zona Sul e, assim, encerrar o desfile iniciado cerca de quatro horas antes.

O anunciado era que o time iria até o memorial do personagem histórico, na Cidade Nova, para acabar oficialmente com a celebração, mas isso não aconteceu. Pouco depois que o veículo foi embora, a PM jogou a primeira bomba na multidão, aparentemente para dispersá-la, mas isso não foi esclarecido.

Houve correria e alguns torcedores atiraram objetos nos militares. Cones de trânsito e grades de metal também foram usadas pelos civis no enfrentamento. Alguns PMs sacaram fuzis e pistolas, outros usaram cassetetes contra torcedores. Muita gente se refugiou em ruas próximas, mas também lá os policiais jogaram bombas.

O tumulto piorou, mas após cerca de meia hora acabou. Pelo menos um homem foi detido. Até a confusão, não havia registros de brigas entre policiais e torcedores. Houve, porém, registros de furtos de celulares. A PM não tinha esclarecido até o fim da tarde o motivo da confusão.

Escreva seu comentário

Preencha seus dados

ou

    #ItatiaiaNasRedes

    RadioItatiaia

    'Eu estou levando minha revolta para um lado de injustiça, eu preciso de uma resposta. Eu guardei tudo no quarto do bebê. Essa dor parece que não vai passar', completa.

    Acessar Link

    RadioItatiaia

    O caso foi revelado em primeira mão pela rádio Itatiaia e repercute nacionalmente.

    Acessar Link