Notícias

Carnes sobem 8,09%, têm maior alta desde 2010 e geram o maior impacto no IPCA

Por Agência Brasil , 06/12/2019 às 10:52
atualizado em: 06/12/2019 às 10:53

Texto:

Foto: Gabriel Rezende/Itatiaia
Gabriel Rezende/Itatiaia

O salto de 8,09% no preço das carnes pressionou a inflação ao consumidor no mês de novembro, com uma contribuição de 0,22 ponto porcentual para a taxa de 0,51% registrada pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), item de maior pressão no mês.

A alta nas carnes no mês de novembro deste ano foi a mais acentuada desde novembro de 2010, quando subiram 10,67%, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

"A gente tem demanda grande da China pela carne, que restringe a oferta no mercado. A situação no momento é uma demanda alta da China pela carne brasileira. Foi principalmente carne bovina. As outras também foram influenciadas, porco e frango, mas o grande destaque foi a carne bovina", frisou Pedro Kislanov, gerente do Sistema Nacional de Índices de Preços do IBGE.

A carne de porco subiu 3,35% em novembro, enquanto o frango inteiro aumentou 0,28% e o frango em pedaços subiu 0,34%.

O grupo Alimentação e Bebidas saiu de um avanço de 0,05% em outubro para elevação de 0,72% em novembro. A contribuição do grupo para a inflação passou de 0,01 ponto porcentual para 0,18 ponto porcentual no período.

"Sem as carnes, (o grupo) Alimentação e Bebidas teria registrado uma queda de 0,18%. Realmente o que pesou mesmo foram as carnes. Tomate, batata e cebola caíram cada um mais de 10%. Então realmente foram as carnes", ressaltou Kislanov.

Sem a pressão das carnes, o IPCA teria sido de 0,30% em novembro calculou Kislanov. Devido ao encarecimento das carnes, os alimentos para consumo no domicílio interromperam uma sequência de seis meses consecutivos de quedas de preços, com um avanço de 1,01% em novembro.

Por outro lado, as famílias pagaram menos pela batata-inglesa (-14,27%) e pelo tomate (-12,71%), ajudando a conter o IPCA em -0,03 ponto porcentual cada um. A cebola também teve recuo acentuado, de 12,48%.

Já a alimentação fora do domicílio subiu 0,21% em novembro, após uma alta de 0,19% em outubro. No último mês, o item lanche aumentou 0,56%, uma contribuição de 0,01 ponto porcentual para o IPCA do mês.

Escreva seu comentário

Preencha seus dados

ou

    #ItatiaiaNasRedes

    RadioItatiaia

    'Eu estou levando minha revolta para um lado de injustiça, eu preciso de uma resposta. Eu guardei tudo no quarto do bebê. Essa dor parece que não vai passar', completa.

    Acessar Link

    RadioItatiaia

    O caso foi revelado em primeira mão pela rádio Itatiaia e repercute nacionalmente.

    Acessar Link