Notícias

Filha de Fernanda Young divulga capa de livro póstumo da mãe: 'Cabeça genial'

Por Agência Estado , 06/12/2019 às 14:52
atualizado em: 06/12/2019 às 16:56

Texto:

Foto: Reprodução/ Redes Sociais
Reprodução/ Redes Sociais

Estela May, filha da escritora Fernanda Young, fez um post em seu Instagram para divulgar o livro póstumo da mãe. Intitulado Posso pedir perdão, só não posso deixar de pecar, a obra foi escrita por Young quando ela tinha 17 anos de idade e reúne diverso textos.

No post, May, de 19 anos, fez uma homenagem à mãe e anunciou que o livro já está à venda nas livrarias. "Ela me leu algumas passagens, perguntou se eu achava chocante demais. Falei que sim. E que era maravilhoso. A cabeça de 17 anos da minha mãe. A cabeça genial da minha mãe", relata.

Fernanda Young morreu em agosto de 2019, aos 49 anos, após uma crise de asma seguida por parada cardíaca. A escritora estava em um sítio da família em Gonçalves, Minas Gerais.

Young ficou famosa por assinar o roteiro de diversas séries de comédia da Rede Globo, em especial Os Normais, estrelada por Fernanda Torres e Luiz Fernando Guimarães, um grande sucesso do começo dos anos 2000.

Também foi apresentadora dos programas Irritando Fernanda Young e Saia Justa. Seu trabalho mais recente na televisão foi a série Shippados, disponível no GloboPlay, com roteiro assinado pela escritora.

'Voz única'

"O inédito Posso pedir perdão, só não posso deixar de pecar foi o primeiro livro escrito por Fernanda Young (1970-2019), aos 17 anos, e também o último a que ela se dedicaria, revendo os originais para a publicação mais de três décadas depois. Escrito no auge do despertar criativo da adolescência da autora, o romance exibe todos os sinais da grande artista que estava por vir - uma voz única, absolutamente original, libertária, criadora e desconcertante nas letras brasileiras", diz a sinopse oficial do livro divulgada pela Editora Leya.

 

Escreva seu comentário

Preencha seus dados

ou

    #ItatiaiaNasRedes

    RadioItatiaia

    'Eu estou levando minha revolta para um lado de injustiça, eu preciso de uma resposta. Eu guardei tudo no quarto do bebê. Essa dor parece que não vai passar', completa.

    Acessar Link

    RadioItatiaia

    O caso foi revelado em primeira mão pela rádio Itatiaia e repercute nacionalmente.

    Acessar Link